top of page
  • Foto do escritorTaylan Magalhães

A Conversa entre Jesus e Jasão



Olá meus amigos!


Abaixo estarei disponibilizando alguns trechos de um diálogo feito entre Jesus e Jasão no qual foi registrado no Livro: ''Operação Cavalo de Tróia''.


As informações contidas neste livro são fruto de um experimento realizado pela Força Aérea dos Estados Unidos classificado como ''Operação Cavalo de Tróia'', onde neste experimento o autor ''Juan José Benítez'' foi enviado em missão para voltar no tempo e coletar informações da época de Jesus há 2 mil anos atrás em Jerusalém.


Diante dessa experiência, Juan (agora assumindo o nome de guerra ''Jasão'') teve a oportunidade de estabelecer um contato cara a cara com Jesus em seu tempo. Segue abaixo os trechos deste diálogo:


''Embora Jesus houvesse tido múltiplas oportunidades de me ver ali sentado, foi só nesse exato momento em que ele me dirigiu o olhar. As crianças se dispersaram pelo Jardim e o Mestre avançou para a escadaria.


Fiquei de pé, mas o Rabi estendeu a mão acenando para que eu não me movesse. Sentou-se a meu lado e com a respiração ainda agitada e a testa empapada de suor disse:


Jesus: Jasão, amigo, como está?.


– Aquela sua abordagem me deixou confuso. O Mestre sem sequer olhar para mim e nem esperar minha resposta prosseguiu em um tom de cumplicidade que eu percebi num instante.


Jesus: Tu estás aqui para dar testemunho e não deves fraquejar.


Jasão: Então sabes quem eu ...


– Jesus sorriu e, passando seu longo braço sobre os meus ombros, apontou para a porta do Jardim onde ainda seus discípulos montavam guarda.


Jesus: Muito tempo ainda irá se passar até que eles e as gerações vindouras compreendam quem sou e por que fui enviado por meu Pai. Tu, apesar de vires de onde vens, estás mais próximo do que eles da verdade.


Jasão: Mestre, não compreendo por que teus homens andam armados. Muito poucos acreditariam nisso em meu tempo.


Jesus: Os que estão comigo – respondeu com um tom de tristeza – não me entenderam.


Tenho estado no centro do mundo e me revelado a eles na carne. Encontrei-os todos embriagados. Não encontrei ninguém sedento. Minha alma sofre pelos filhos dos homens porque estão cegos de coração; não veem que chegaram vazios ao mundo e tencionam sair vazios do mundo.


Jasão: Meu mundo, do qual venho, distingue-se precisamente pela confusão e pela injustiça.


Jesus: Teu mundo não é nem melhor nem pior do que este. A ambos falta só o princípio que rege o Universo: o Amor.


Jasão: Dá-me, ao menos um sinal para que saibamos quando te revelarás aos homens pela segunda vez.


Jesus: Quando vos desnudardes sem sentir vergonha; quando tomardes vossas vestimentas e as colocardes sob os pés como as crianças e as pisoteardes, então vereis o Filho do Homem e não temereis.


Jasão: Então meu mundo está ainda muito longe desse dia. Lá os homens são inimigos dos homens e até do próprio Deus.


– Cristo sorriu balançando a cabeça negativamente.


Jesus: Estais então equivocado. Deus não tem inimigos.


– Aquela frase incisiva do Nazareno trouxe-me à memória muitas das crenças sobre um Deus justiceiro que condena ao fogo do inferno e que morre em pecado.


Jesus: Os homens são hábeis manipuladores da verdade. Um pai pode se sentir aflito com as loucuras do filho, mas nunca o condenaria a um mal permanente. O inferno, como creem em teu mundo, significaria que uma parte da Criação teria escapado das mãos do Pai. E posso assegurar que crer nisso é não conhecer o Pai.


Jasão: Sendo assim, o que podemos pensar dos que nunca amaram? .


Jesus: Não existem tais pessoas.


Jasão: O que me dizes dos sanguinários, dos tiranos?.


Jesus: Eles também amam, à sua própria maneira. Quando passarem para o outro lado levarão um bom susto.


Jasão: Não entendo.


Jesus: Essas pessoas se darão conta, ao deixar este mundo, de que ninguém lhes perguntará por seus crimes, riquezas, poder ou beleza. Eles mesmos, e somente eles, se convencerão de que a única medida válida do ''outro lado'' é a do Amor. Se não amaste aqui, em teu tempo, somente tu te sentirás responsável.


Jasão: E que ocorrerá com os que não tenham sabido amar?.


Jesus: Queres dizer: ''com os que não tenham querido amar''. Esses, amigo, serão os grandes enganados e, em consequência, os últimos no Reino de meu Pai.


Jasão: Então teu Deus é um Deus de amor.


– Jesus pareceu zangado.


Jesus: Tu és Deus!


Jasão: Eu, senhor?.


Jesus: Em verdade te digo que todos os nascidos levam o selo da Divindade.


Jasão: Mas não respondeste à minha pergunta. Deus é um Deus de amor?.


Jesus: Se não o fosse não seria Deus.


Jasão: Nesse caso, devemos então excluir de nossa mente qualquer castigo ou prêmio?.


Jesus: É a nossa própria injustiça que se volta contra nós.


Jasão: Começo a intuir, Mestre, que tua missão é muito simples. Será que me engano se te digo que teu trabalho consiste em deixar uma mensagem?.


– O Nazareno sorriu satisfeito. Pôs sua mão sobre o meu ombro e respondeu: Não poderias ter resumido melhor.


Jasão: Tu sabes que meu coração é duro – acrescentei. Poderias repetir-me essa mensagem?.


Jesus: Diz ao teu mundo que o Filho do Homem só veio para transmitir a vontade do Pai: que todos sois seus filhos!


Jasão: Isso já sabemos.


Jesus: Estás seguro disso?. Diz-me, Jasão, o que significa para ti ser filho de Deus?.


– Senti que tinha sido pego de novo. Sinceramente, eu não tinha uma resposta válida. Nem mesmo eu estava seguro da existência desse Deus.


Jesus: Eu te direi – interveio o Mestre com grande doçura. Ter sido criado pelo Pai supõe a máxima manifestação de Amor. Ele dá tudo sem pedir nada em troca. Eu recebi o encargo de recordar isso. Essa é a minha mensagem.


Jasão: Deixa-me pensar. Então quer dizer que façamos o que façamos, estaremos condenados a ser felizes?.


Jesus: Sim. É apenas questão de tempo. É necessário que o mundo entenda e ponha em prática que o único meio para eles é o Amor.


Jasão: Se tua presença no mundo obedece a uma razão tão elementar como a de deixar uma mensagem para toda a humanidade, não crês que tua igreja está sobrando?.


Jesus: Minha igreja?. Não tive e nem tenho a menor intenção de fundar uma igreja tal como tu pareces entendê-la.


Jasão: Mas tu disseste que a palavra do Pai deveria ser estendida até os confins da terra…


Jesus: Em verdade te digo que assim será, mas isso não implica condicionar ou dobrar minha mensagem à vontade do poder ou das leis humanas.


Não é possível que um homem monte em dois cavalos ou que dispare dois arcos. Como não é possível que um criado sirva a dois amos ao mesmo tempo, senão ele honrará a um e ofenderá ao outro. Ninguém que esteja bebendo vinho velho deseja naquele momento beber um vinho novo.


Da mesma forma te digo: minha mensagem só necessita de corações sinceros que a transmitam; não de palácios ou falsas dignidades e púrpuras que a cubram.


Jasão: E qual é a tua vontade?.


Jesus: Que os homens se amem como eu os tenho amado. Isso é tudo.


Jasão: Tens razão – admiti. Para isso não é preciso montar novas burocracias, nem códigos, nem chefaturas. Não obstante, muitos dos homens de meu mundo desejariam fazer-te uma pergunta.


Jesus: Adiante – animou-me o Galileu.


Jasão: Poderíamos então chegar a Deus sem passar pela igreja?.


– O rabi suspirou.


Jesus: E tu necessitas dessa igreja para chegar ao teu coração?.


– Uma confusão extrema bloqueou-me a voz e Jesus percebeu.


Jesus: O amor não necessita de templos ou legiões. Um homem tira o bem ou o mal de seu próprio coração. Um só mandamento vos é dado, e tu sabes qual é. O dia em que meus discípulos fizerem toda a humanidade saber que o Pai existe, sua missão estará concluída.


Jasão: É curioso... Esse Pai parece não ter pressa.


– O gigante olhou-me compassivamente.


Jesus: Em verdade te digo que Ele sabe que terminará triunfando. O homem sofre de cegueira, mas eu vim para lhe abrir os olhos. Outros seres já descobriram que é mais vantajoso viver no Amor. Deixe que cada espírito encontre o seu caminho. Ele mesmo, no final, será seu juiz e defensor.


Jasão: Então, tudo isso de juízo final...


Jesus: Por que tanto vos preocupais com o final, se nem sequer conheceis o princípio?. Já te disse que do outro lado vos espera a grande surpresa.


Jasão: Tenho a impressão de que tu serias considerado excessivamente liberal para as igrejas do meu mundo.


Jesus: Deus é tão liberal, como dizes, que até mesmo permite que te enganes.


Jasão: Deus... Tu sempre estás falando de Deus. Poderias explicar-me quem é ou o que é Deus?.


– O fogo do olhar de Jesus tornou a transpassar-me. Duvido que exista muro, coração ou distância que não pudesse ser vencido por semelhante força.


Jesus: Podes tu explicar de onde vens e como?. Pode o homem pegar as cores nas mãos?. Pode um menino guardar o mar entre as pregas de sua túnica?. Podem os doutores da lei alterar o curso das estrelas?. Não me peças para que te fale de Deus. Sente-o! É o suficiente.


Jasão: Eu estaria certo se dissesse que o sinto como... uma ''energia''?.


Jesus: Vais muito bem!


Jasão: E o que há por baixo dessa ''energia''?.


Jesus: É que não há ''acima'' e ''abaixo'' – atalhou o Nazareno. O Amor, quer dizer, o Pai, é o Todo.


Jasão: Por que o Amor é tão importante?.


Jesus: É a vela do navio.


Jasão: Permite que eu insista: O que é o Amor?.


Jesus: Dar.


Jasão: Dar... Mas dar o quê?.


Jesus: Dar. Desde um olhar até a vida.


– Durante algum tempo não me atrevi a interromper-lhe com mais perguntas. O Rabi então flexionou as pernas e as abarcou com seus braços. Depois, repousando o queixo sobre os joelhos, suspirou profundamente. Fixou os olhos em mim e exclamou:


Jesus: Obrigado por vossos sacrifícios!


– Admirado, olhei para ele fixamente e percebendo minha confusão ele acrescentou:


Jesus: Sabes bem a que me refiro. Vossa decisão de conhecer a verdadeira história do Filho do Homem não é fruto do acaso. Estes – e com a mão esquerda apontou para os discípulos – meus pequenos de hoje terminarão por alterar involuntariamente minha mensagem.


Jasão: Desculpa minha curiosidade. Mas de que lugar vens, Mestre?.


Jesus: Sou um Filho Criador.


– Fiz com a cabeça um gesto negativo, dando-lhe a entender que não conseguia acompanhá-lo.


Jesus: Não queiras agarrar o que ainda é invisível a teus olhos de mortal. Basta-te ter a fé na existência do Pai. Muitas de minhas criaturas, apesar de haverem transposto a barreira da morte, também não estão preparadas para enfrentar, face a face, a luz cegante do Pai Universal.


– Uma torrente de perguntas começava a tumultuar dentro de mim.


Jasão: O Pai?. A morte?. Outras criaturas?. Tudo parece tão simples... Falas da morte sem medo. Mas nós...


Jesus: Vós fazeis empenho em apagar a luz que bate em cada coração e que foi depositada aí precisamente para vencer o medo. Se os homens escutassem sua própria voz, ninguém temeria essa passagem. A morte, meu filho, é só uma porta. Não temais cruzá-la.


Jasão: Alguns seres humanos temem mais a incógnita do ''depois'' da morte do que o fato físico da morte.


Jesus: Esses silenciam a íntima e sábia voz de sua consciência. Deixai que seja ela quem vos guie. Tudo, na criação de meu Pai, está meticulosa e misericordiosamente disposto para o vosso bem. Ninguém morre. Tudo é contínuo progresso para o Paraíso, e nem sequer esse é o fim.


Jasão: Mas as religiões e algumas Igrejas pregam a salvação e a condenação.


– Foi a única vez que vi seu rosto endurecer.


Jesus: Não meças o nosso Pai Universal com a vara dos homens. Nem confundas a religião da autoridade com a do Espírito. Algum dia, todos os mortais compreenderão que só o caminho da experiência e da busca pessoal é digna da chispa divina(centelha divina) que vos alimenta a cada um de vós.


E eu te digo: ao unir seus destinos ao das religiões da autoridade, colocarão também em risco a sagrada soberania de suas personalidades, renunciando ao direito de participar da mais apaixonante e vivificante de todas as experiências humanas: a busca pessoal da Verdade e tudo o que ela significa.


Jasão: Diz-me então: O que deve fazer um homem que deseja encontrar a Verdade?.


Jesus: Nem mesmo tu compreendeste a minha mensagem?.


– Uma onda de vergonha fez-me baixar os olhos. Mas, de pronto, passando seu braço esquerdo sobre meus ombros, aquele Homem obrigou-me a sustentar seu olhar.


Jesus: Confiar em nosso Pai. Só isso. Cada amanhecer, cada momento de tua vida, põe-te em suas mãos. Luta pela fraternidade entre os humanos. Luta pela tolerância e pela justiça. Luta pelos fracos. Ele se encarregará do resto.


Jasão: O Pai... – exclamei contagiado por seu entusiasmo – deve ser um grande tipo!


– Minha prosaica definição arrancou um riso do Filho do Homem. Suas reações, como eu ia verificando, eram tão humanas e naturais como as de qualquer mortal.


– Tomando um punhado de areia do chão, estendeu uma das mãos e mostrou-me os grãos e respondeu:


Jesus: É tão imenso que mede os mares na concha de sua mão e os Universos na distância de um palmo. É Ele quem está sentado na órbita da Terra. Ele, quem estende os céus como um manto e lhes põe ordem para que sejam habitados.


– Jesus tomou minha mão direita e, colocando nela o punhado de areia, insistiu em algo que já havia comentado:


Jesus: Nunca esqueças que uma parte desse Deus, de nosso Pai, entrou em ti há muitos anos.


Jasão: Quando?.


Jesus: Digamos, para simplificar, que no momento em que tomaste tua primeira decisão moral.


Jasão: Então eu sou Deus?.


Jesus: Tu o disseste. E a partir de hoje busca-te no mais íntimo de tua alma.


– A curiosidade consumia-me. E, deixando-me levar pelo mais infantil dos impulsos, perguntei-lhe impulsivamente:


Jasão: Como te chamas?.


– O Mestre não contornou a pergunta. Ele sabia que eu não me referia a seu nome na Terra. Observou-me com um ar divertido e, apontando seu indicador esquerdo para as estrelas, exclamou:


Jesus: Em meu Reino, minhas criaturas me conhecem por Micael.


Jasão: E por que não adotaste esse mesmo nome na Terra?.


– O Mestre parecia divertir-se com aquelas perguntas pueris. Sorriu de novo, e logo então respondeu:


Jesus: A princípio, por expresso desejo meu, nem eu mesmo tomei consciência de quem era aquele jovem de Nazaré. Assim o exigia minha experiência entre os humanos evolucionários do tempo e do espaço. Só uns poucos, muito chegados a Micael, souberam desse segredo e o guardaram zelosamente.


– Eu não saía do meu assombro. Santo Deus! Era tanto o que eu ignorava sobre aquele Homem.


Jesus: Meu nome na Terra tinha de ser outro. Satisfeito?.


Jasão: Então tu, durante tua infância e juventude nunca soubeste...


– Ele fez um gesto negativo com a cabeça.


Jasão: Então, quando...?


Jesus: Isso, querido Jasão – respondeu divertido –, é algo que devereis descobrir por vós mesmos em seu momento.


Jasão: Por que falas de ''minha experiência entre os humanos''?.


Jesus: E que outra coisa posso dizer?.


Jasão: Experiência?. Só isso?.


Jesus: Segundo tu, como deveria qualificá-la?.


Jasão: De desperdício – respondi prontamente sem dar-lhe tempo para contestar.


Um desperdício, e se me permites, desnecessário e, a julgar pelos resultados próximos e futuros, catastrófico.


- Deixando por um momento seu acolhedor sorriso, respondeu:


Jesus: O Soberano Criador deste universo também faz a vontade do Pai. Uma vez satisfeita minha sede de conhecimento dos humanos, poderei abandonar o mundo e receber do Pai Universal o definitivo reconhecimento de minha soberania.


Jasão: Desde quando um Criador necessita conviver com suas criaturas?. O que podia aprender em um mundo como este?. A que tipo de ''experiência'' se referia?. O que seria este ''definitivo reconhecimento de sua soberania''?.


Jasão: Queres dizer – interroguei-o sem saber por onde começar – que o Pai podia desejar para ti uma morte tão cruel e sanguinária?.


– Durante uns momentos Jesus nada disse. Cheguei a pensar que houvesse esquecido minha pergunta. Mas logo, com especial ênfase, falou:


Jesus: Antes de minha Encarnação na Terra os homens podiam crer em um Deus colérico, sedento de justiça. Sua ignorância era perdoável. Agora revelei-lhes um Pai misericordioso que só conhece a palavra Amor. Crês, então, que um Pai assim pode desejar essa morte para um filho?.


Nosso Pai, repito, não é um monarca ressentido, severo e implacável, cujo principal prazer consiste em localizar e perseguir criaturas que agem na obscuridade. A própria idéia de um resgate ou expiação colocaria a salvação em um plano de irrealidade. Este conceito é puramente filosófico. A salvação humana é inegável e se baseia em dois únicos princípios: Deus é nosso Pai e, consequentemente, todos os homens são irmãos.


– Custava-me aceitar tão bela utopia. Assim, sem dissimular meu ceticismo, perguntei-lhe:


Jasão: Quando isso ocorrerá?. Quando desaparecerão a maldade e a injustiça do mundo?.


Jesus: Só há um caminho: o Amor. O amor dissolve a maldade e as fraquezas. Ama teu semelhante Jasão. Ama-o na penúria e na riqueza! Ama-o ainda quando creias que ele está errado. Ama-o, simplesmente.


– Suponho que perdi a noção do tempo. Ouvi-lo falar era muito mais do que aprender: era viver, sentir e palpar uma nova realidade. Uma realidade que eu até então ignorava.


Trechos do Livro: Operação Cavalo de Tróia.


(Nota: Para mais informações sobre a verdadeira história de Jesus, eu recomendo ler um outro artigo neste Blog onde ao final dele vocês encontrarão uma canalização de Jesus onde ele nos conta mais sobre a sua missão na Terra, explica sobre quem são os Anjos e Arcanjos e também nos ensina sobre as características da energia Crística. Havendo interesse estou deixando o link do artigo abaixo).


(Clique aqui) para ler o artigo.



Estou também deixando abaixo uma breve entrevista onde Geraldo Lemos nos revela acerca da veracidade das informações contidas no Livro ''Operação Cavalo de Tróia'' e também nos diz a respeito sobre o que Chico Xavier mencionou certa vez sobre este Livro. Segue abaixo a entrevista.


Assista ao vídeo:


Espero poder ter lhe ajudado de alguma forma com está mensagem. Deixe a sua opinião nos comentários sobre o que você achou desse texto e aproveite também para compartilhar desta informação com outras pessoas. Todo ato de ajuda gera um efeito multiplicador.


Taylan Magalhães


▸ Para mais informações sobre o meu Trabalho:


▪ Mentoria Espiritual: (Clique Aqui).

▪ Cura Arcturiana: (Clique Aqui).


Copyright © Portal Filhos da Luz. Todos os direitos reservados.

Siga-me nas redes sociais:

1.695 visualizações3 comentários

Posts recentes

Ver tudo

3 Comments


marete8
Sep 28, 2023

É mesmo Taylan achei barbaro todos estes informes. Também sei que Jesus Cristo, veio para ensinar o AMOR.

Mas nunca vi, li ou soube, desse seu modo. Gostei muito, parecia até que era eu, falando com Jesus, meu amado mestre. Obrigado por tudo.

Marcia J.

Like

kleinn.lucia
May 30, 2023

Gratidão imensa, Taylan! Olhos umedecidos e lágrimas correndo do olho esquerdo enquanto leio esta página. A sensação é de estar diante do Amado Jesus! Gratidão!

Like

Eurico Cabanga
Eurico Cabanga
Apr 06, 2023

Causou-me uma reflexão profunda que chegou a tocar a minha alma e fez meus olhos se encherem de "água". Gratidão eterna, por partilhar esse texto. Estou confiante que muitas serão as pessoas que tirarão bastante proveito dele.

Like
bottom of page